Buscar
  • Folhear - Psicoterapia

À espera por um Poema

A Professora Rosa encontra-se à espera para falar com o Director da escola. O assunto é um poema que entregou a um aluno. E pensa consigo mesma...

"Será que não devia ter dado o poema ao Luis?? Será perigoso ele ler coisas sobre o suicídio? Mas ele parecia tão desolado, tão sem esperança... Já vi tantas desilusões amorosas, em que parece que o mundo vai acabar, mas para este rapaz, por algum motivo, o impacto foi arrasador. Falou-me que a sua vida já não tem sentido, como se a dor fosse demasiado grande para viver com ela. Quem falou mais na verdade foram os seus olhos, distantes, como se ninguém o pudesse resgatar de onde está. Lembrei-me então deste poema, na esperança de talvez o conseguir tocar dessa forma, nem que por um momento se possa instalar a dúvida, a possibilidade de que este lugar não seja para sempre... Afinal todos já estivemos desesperados à espera de um poema".



Wait, for now. Distrust everything, if you have to. But trust the hours. Haven’t they carried you everywhere, up to now? Personal events will become interesting again. Hair will become interesting. Pain will become interesting. Buds that open out of season will become lovely again. Second-hand gloves will become lovely again, their memories are what give them the need for other hands. And the desolation of lovers is the same: that enormous emptiness carved out of such tiny beings as we are asks to be filled; the need for the new love is faithfulness to the old.


Wait. Don’t go too early. You’re tired. But everyone’s tired. But no one is tired enough. Only wait a while and listen. Music of hair, Music of pain, music of looms weaving all our loves again. Be there to hear it, it will be the only time, most of all to hear, the flute of your whole existence, rehearsed by the sorrows, play itself into total exhaustion


Galway Kinnell

55 visualizações
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black LinkedIn Icon
Logo Folhear6.png